CCG Saúde
Clínica Mais

Clínica Mais

Um espaço exclusivo, completo e inovador no centro de Porto Alegre. Com ampla área, equipe especializada e atendimento 24h, estamos ainda mais preparados para cuidar da saúde de quem conta com a gente.

Diferenciais

Conheça as exclusividades da nova clínica:

Atendimento 24h adulto e pediátrico. Atendimento traumatológico das 7h às 19h
4.200m² de área com arquitetura moderna e de alto padrão
Mais de 20 especialidades médicas e mais de 70 consultórios
Centro Gaúcho de Medicina Ocupacional e Laboratório Marques D'Almeida no próprio local
Cuidado com a saúde mental: centro de cuidado com especialistas da psiquiatria e psicologia
Cuidado para as crianças: centro de cuidado infantil, com pronto-atendimento pediátrico 24h, enfermaria dedicada e especialistas
Cuidado feminino: atendimento global das necessidades da saúde da mulher, acompanhamento clínico, exames de mamografia, densitometria e ecografia
Cuidado complementar: centro de diagnóstico e de imagem: exames de EEC, ECG, Raio-X, tomografia entre outros

Juntos contra a
COVID-19

O CCG, como serviço de saúde, segue se adaptando para manter atuação intensa em meio à pandemia, sempre visando à qualidade no atendimento às pessoas e à preservação da vida. Contamos com profissionais especializados e ações planejadas com só um objetivo: cuidar da saúde das pessoas.

Por você, até agora

São inúmeras as ações realizadas até o momento, e não paramos por aqui. O CCG Saúde segue aprimorando seus serviços para garantir atendimento seguro para todos os seus pacientes.

35.864 teleconsultasteleconsultas

Uma equipe de mais de 150 médicos continua a atender pacientes adultos e pediátricos todos os dias, focando na saúde de cada paciente e no bem-estar de todos a sua volta com atendimentos especializados.

+ 1.500 funcionários em atividadefuncionários em atividade

Mantendo atendimento seguro e especializado para os nossos pacientes, priorizando sempre cuidar da saúde de todos.

655 horas de treinamentohoras de treinamento

Realizamos treinamentos semanais com nossos colaboradores e equipes médicas, a fim de manter a equipe unida e atualizada quanto às medidas de proteção e segurança nos atendimentos.

557.637 EPIs utilizadosEPIs utilizados

Todos os dias, em todos os atendimentos, eles estão presentes. Os equipamentos de proteção individual são obrigatórios para todos os colaboradores e fazem parte de nossa rotina.

362 remédios entreguesremédios entregues

Cientes da dificuldade que muitos pacientes têm de buscar os remédios sozinhos, e com objetivo de zelar pela sua saúde, organizamos entregas domiciliares de medicamentos especiais para pacientes imunossuprimidos.

135.140 Consultas presenciaisConsultas presenciais

Mesmo com todos os serviços de acompanhamento à distância sabemos que, para alguns casos, é fundamental o encontro presencial. Nossas equipes médicas seguem atendendo nas clínicas, com todos os cuidados necessários.

Iniciativas e Serviços De: CCG Para: Você

Estas são algumas das ações que planejamos para atender com segurança todos os nossos pacientes.

TELECONSULTAS

Pensando na segurança e na saúde dos nossos clientes criamos novos serviços como as Teleconsultas e Teleorientações, que possibilitam aos nossos clientes entrarem em contato com a equipe médica para atendê-los. Disponibilizamos também a Telemedicina, para você receber atendimento de um médico especialista.

ENTREGA DE MEDICAMENTOS ESPECIAIS

Buscando alternativas para manter o atendimento de forma segura, o CCG e sua Central de Crônicos garantem entrega de medicamentos para pacientes com necessidades especiais (quimioterapia, hormonioterapia e imunoterapia via oral).

+SAÚDE PARA IDOSOS

Através do programa +Saúde, abrimos um canal de cuidado mais próximo dos nossos pacientes com mais de 60 anos de idade, auxiliando na prevenção à COVID-19.

ACOMPANHAMENTO PSICOLÓGICO PARA COLABORADORES

Mantendo a saúde em primeiro lugar, o CCG está disponibilizando atendimento psicológico de segunda a sexta-feira, por telefone, para seus colaboradores.

Nossa atuação é por vocês

Estamos sempre buscando nos aprimorar para entregar o melhor em medicina de valor para nossos clientes.

Nosso Atendimento

Estamos onde você precisa, nos adaptando para prestar o melhor serviço de saúde para nossos clientes.

Fique atento aos sintomas

Caso apresente algum sintoma grave, ligue antes de sair de casa para 0800.888.9599 e receba a orientação adequada.

Febre igual ou acima de 38ºC

Falta de ar

Dor no peito ao respirar

Piora progressiva no estado geral

Dúvidas frequentes

Confira as principais dúvidas e mantenha-se informado sobre a doença, métodos de prevenção e identificação de casos suspeitos.

O que é o coronavírus?

Os coronavírus (CoV) compõem uma grande família de vírus, conhecidos desde a década de 1960. Eles receberam esse nome devido ao seu formato, que lembra uma coroa.

Os coronavírus causam doenças em humanos e animais. Em pessoas, normalmente provocam infecções respiratórias leves a moderadas, semelhantes a um resfriado comum. Porém, alguns coronavírus já levaram a outras doenças bem mais graves, com a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS), identificada em 2002, e a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS), identificada em 2012.

O novo coronavírus, que apareceu na China em dezembro de 2019, é uma variação dentro da família do vírus. Chamado de 2019-nCov, causa a doença COVID-19.

O que é a COVID-19?

A doença infecciosa provocada pelo novo coronavírus recebeu o nome COVID-19, sigla em inglês para “coronavírus disease 2019” (doença por coronavírus 2019, em tradução livre). O espectro clínico ainda não está descrito completamente e não se sabe ao certo o padrão de letalidade, mortalidade, infectividade e transmissibilidade do vírus.

Quais são os sintomas da COVID-19?

O coronavírus (2019-nCov) ainda precisa de mais estudos e investigações para caracterizar melhor os sinais e sintomas da doença. Segundo os dados mais atuais, o quadro clínico inicial é semelhante a um resfriado. Os pacientes apresentar febre, cansaço e pelo menos um sinal ou sintoma respiratório, como tosse e dificuldade para respirar.

Nos considerados leves, alguns pacientes também podem desenvolver dores no corpo, congestão ou corrimento nasal, inflamação na garganta ou diarreia.

Nos casos mais graves, que geralmente ocorrem em pessoas que já tenham outras doenças associadas, há síndrome respiratória aguda e insuficiência renal.

Como a COVID-19 é transmitida?

O novo coronavírus está sendo transmitido de pessoa a pessoa de forma continuada, ou seja, um infectado pelo vírus pode passá-lo para alguém que ainda não foi infectado.

O contágio costuma ocorrer pelas vias respiratórias, através de secreções contaminadas expelidas no ar por paciente com suspeita de caso por novo coronavírus - como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro. Também pode ocorrer por contato físico - como beijos e abraços e apertos de mão com pessoas infectadas. Ou ainda, encostando em objetos ou superfícies contaminadas - como torneiras, corrimãos e trincos - e então levando a mão à boca, nariz ou olhos antes de ser higienizada.

Já existe uma vacina, medicamento ou tratamento para a COVID-19?

O novo coronavírus está sendo transmitido de pessoa a pessoa de forma continuada, ou seja, um infectado pelo vírus pode passá-lo para alguém que ainda não foi infectado.

Não existe vacina nem medicamento específico para prevenir ou tratar as infecções causadas pelo coronavírus até o momento.

Possíveis vacinas e tratamentos por medicamentos já estão sob pesquisa e também sendo testados através de ensaios clínicos, sob orientação e coordenação da OMS.

Enquanto isso, a melhor maneira de prevenir é evitar a exposição ao vírus, seguindo as regras de higiene e de etiqueta respiratória.

O tratamento é feito como suporte para aliviar os sintomas de cada paciente, mas em geral, recomenda-se repouso e bastante consumo de água e líquidos. Pacientes com sintomas mais intensos podem ser hospitalizados. Essa definição será tomada pelo médico responsável pelo caso.

A boa notícia é que, recebendo o cuidado adequado, o corpo humano é capaz de reagir à infecção e se curar sozinho. A maioria das pessoas (cerca de 80%) se recupera da doença sem precisar de tratamento especial.

Existem grupos de pessoas com maior risco para desenvolver casos graves?

A maioria das infecções por coronavírus em humanos são causadas por espécies relativamente brandas, levando ao desenvolvimento de sintomas do resfriado comum. No entanto, podem eventualmente levar a infecções graves em grupos de risco.

Crianças menores de 2 anos, gestantes, adultos com 60 anos ou mais, e pessoas com condições médicas pré-existentes (como pressão alta, doenças cardíacas ou diabetes) parecem desenvolver doenças graves com mais frequência do que outros.

É preciso usar máscara para se proteger?

Sim. O Ministério da Saúde orienta que a população utilize, pois funcionam como barreiras na propagação da doença. A recomendação é utilizar as máscaras de pano e de forma individual, não podendo ser dividida com ninguém. As máscaras caseiras devem ter pelo menos duas camadas de pano e podem ser feitas em tecido de algodão, tricoline, TNT ou outros tecidos. É importante produzir a máscara com as medidas corretas cobrindo totalmente a boca e nariz e que estejam bem ajustadas ao rosto, sem deixar espaços nas laterais.

A higienização é fundamental para manter a proteção, por isso, é necessário que o próprio indivíduo lave com sabão ou água sanitária, deixando de molho por cerca de 30min. Se ficar úmida é necessário ser trocada e nunca compartilhar.

O que é o isolamento respiratório domiciliar e para quem isso é recomendado?

Em casos suspeitos ou confirmados para COVID-19 com quadro sem gravidade que não necessitem de hospitalização, poderá ser indicado o isolamento domiciliar até a resolução completa dos sintomas.

O isolamento consiste basicamente em manter o paciente em casa, recebendo cuidados como hidratação e repouso, com restrição de contatos com pessoas e ambientes externos, para evitar a circulação do vírus. Os familiares que também estiverem na casa devem tomar precauções como evitar compartilhamento de objetos pessoais, não ter contato com secreções do paciente e higienizar constante as mãos e o ambiente.

Os casos suspeitos devem ser mantidos em isolamento enquanto houver sinais e sintomas clínicos. Casos descartados laboratorialmente, independente dos sintomas, podem ser retirados do isolamento. Os casos graves devem ser encaminhados a um Hospital de Referência para isolamento e tratamento.

Em casos positivos de COVID-19, a internação é sempre necessária?

A internação deve ser definida por uma equipe médica, mas é indicada somente para pacientes com febre e sinais/sintomas respiratórios que apresentem agravamento dos sintomas, como insuficiência respiratória aguda ou sepse, ou que tenham exame de imagem sugestiva de pneumonia.

Gestantes e lactantes podem transmitir o vírus ao bebê?

Ainda há pouca informação sobre a transmissão vertical (gestante - feto), mas até o momento nenhum bebê de mãe contaminada foi infectado. Também não foi diagnosticado o vírus no líquido amniótico nem no leite materno.

Vale lembrar, porém, que a transmissão ocorre em pacientes com sintomas por meio de secreções das vias áreas, como gotículas de saliva no ar, por exemplo. O uso de máscara cirúrgica e a higiene das mãos para contato com o bebê são medidas importantes para diminuir as chances de contágio.

Até o momento, as gestantes com suspeita ou confirmação da infecção COVID-19 devem ser tratadas com terapias de suporte, levando em consideração as adaptações fisiológicas da gravidez.

Ver mais

Fale Conosco

Caso você tenha dúvidas ou queira nos enviar uma mensagem, preencha o formulário abaixo que em breve iremos te retornar

Sua mensagem foi enviada com sucesso!
Em breve entraremos em contato.
Ops, ocorreu um erro, tente mais tarde.